Cases

Casa Itália

Cenário

A Casa Itália foi um dos oito clientes conquistados pela Textual durante os Jogos Olímpicos Rio 2016.

A casa foi uma dos lugares mais disputados das Olimpíadas de 2016, no Rio.

O Comitê Olímpico Italiano (Coni) destinou a Casa aos atletas e delegações. Mesmo fechada para o público, despertou “desejo” e muita “curiosidade” nos cariocas e n os turistas nacionais e internacionais.

A Casa ficou instalada no belíssimo Clube Costa Brava, ícone de beleza e elegâncias nos anos 60, 70 e 80, ganhou uma reforma dos italianos. O clube é cercado de muito verde e do mar que circunda suas instalações.

No seu interior, a paixão pela beleza, design, arquitetura e gastronomia dos italianos eram percebidas: dos móveis belíssimos vindos diretamente da Itália, dos talheres usados nos buffets, até o incrível terraço, com cinco mil plantas brasileiras e italianas.

Objetivo

Transformar a casa num local de troca, de encontro de identidade entre duas culturas – a brasileira e a italiana – e num “momento único de experiência”.


O desafio do PR

O Rio receberia várias ofertas de entretenimento para os que prestigiavam os primeiros Jogos realizados na América Latina. Só de casas, eram 53!

A Casa Itália não seria aberta ao público. Então, a pergunta era:


Como a Casa Itália se transformou em objeto de desejo?

– A dificuldade de entrada e o fato de ter sido renovada reforçaram o frisson, mas não eram suficiente para a Casa ser percebida como ‘Horizontal’, o conceito criado pelo diretor do Coni, Diego Nepi.

 

 Estratégia

Promover relacionamento e experiência:

  • Relacionamento: “Boas-vindas” era a mensagem–chave com a imprensa e formadores de opinião off-line e digitais dos segmentos das artes, design, gastronomia e arquitetura. Logo pipocaram matérias, notas e posts indicando a Casa como a mais elegante dos Jogos!

 

  • Experiência: atrair pelo “momento harmônico” entre culinária e design: convidar para os almoços, jantares e festas com o cardápio assinado pelo famoso chef italiano Davide Oldani, dono do estrelado restaurante D’O, em Milão.

 

 Legado Olímpico

Entendendo que a sociedade espera dos patrocinadores e demais empresas envolvidas com Jogos Olímpicos, as parcerias realizadas pelo CONI também foram destacadas na estratégia de PR. Todas as ações ganharam destaques na imprensa:

  • Parceria com a ActionAid – organização internacional sem fins lucrativos, que atua há 16 anos no Brasil -, o Coni reformou umas das creches mais antigas da Rocinha, além de promover aulas de dança, arte, hip hop etc.
  • Casa dos Voluntários – projeto entre o Comitê Olímpico Italiano e a ActionAid. Surgiu depois do projeto “Sorriso das minhas crianças”, de uma artista italiana que recebe voluntários italianos e brasileiros na Rocinha, para programas ligados à cultura.
  • Reforma de uma quadra de esportes, na Escola Municipal Alphonsus de Guimarães, na Cidade de Deus.

 

Atuação Textual

  • Reuniões de alinhamento estratégico com o Coni;
  • Estabelecer as diretrizes do relacionamento com a imprensa, formadores de opinião e influenciadores digitais;
  • Tradução e elaboração de conteúdos;
  • Atendimento in loco aos jornalistas e influenciadores convidados;
  • Monitoramento diário da repercussão da Casa na imprensa e no ambiente digital;
  • Ações de prevenção de possíveis crises que pudessem surgir na imprensa.

 

Resultados:

A Casa Itália pode ser considerada um case de sucesso nos Jogos do Rio

  • Mesmo sendo fechada, gerou interesse e muita mídia espontânea em todos os meios de comunicação impressos e online.
  • 47 inserções nos principais veículos de todo o país, com uma estimativa de R$ 4.058.621,00 em mídia espontânea.
  • 110 jornalistas foram convidados para a Casa.
  • 40 influenciadores digitais de diferentes áreas, também convidados cobriram o evento em seus perfis.